Action Learning e Clima Organizacional

 

O PEDIDO DO CLIENTE

A divisão brasileira de uma das unidades de negócio de uma indústria farmacêutica sueca solicitou uma solução para aprofundar o entendimento dos dados trazidos pela pesquisa de clima. Os resultados estavam muito bons e o cliente estava interessado em identificar exemplos de como os dados da pesquisa se manifestam no dia a dia e iniciar o levantamento de ações que sustentariam os resultados positivos e alavancariam os resultados menores.

 

SOLUÇÃO PROPOSTA

Realização de grupos focais, cada um com 8 participantes, para aprofundar o entendimento do que estava por trás dos números. Para a formação dos grupos, foram utilizados os seguintes critérios:

  1. Cada participante seria de uma área diferente, garantindo diversidade e representatividade em cada grupo;

  2. Os participantes não poderiam ocupar cargo de chefia, uma vez que qualidade da gestão era um dos itens da pesquisa.

  3. Tempo de casa, idade, gênero, formação também foram utilizados pelo RH como critérios para garantir diversidade.

Os encontros tiveram 4 horas de duração e foram divididos em 2 momentos:

  1. Com o uso de um jogo, foi identificado o que estava bom e precisaria ser mantido e o que precisava melhorar (utilizando abordagem apreciativa);

  2. Busca de soluções, por meio do Action Learning (a partir do que foi definido que precisava melhorar, os grupo elegeu um problema, que foi trabalhado no formato “problema de sponsor”).

RESULTADOS OBTIDOS

O participantes perceberam que haviam participado não só de uma reunião de diagnóstico, mas que havia sido uma experiência de aprendizagem estimulante e reflexiva. Além disso, saíram da reunião encorajados a assumir ações no sentido de influenciar o clima, ao invés de esperar que seus gestores ou o RH o fizessem.

O cliente contratante ficou bastante satisfeito em obter informações precisas e, além do que havia sido solicitado, foi surpreendido pelo plano de ação que o grupo criou.

 

DESCOBERTAS E APRENDIZADOS

O uso do Action Learning como ferramenta de diagnóstico garantiu objetividade e foco aos participantes. As pesquisas de clima e grupos focais relacionados a esse tema correm o risco de serem improdutivas, uma vez que os participantes os utilizam como meio de “descarregar” suas frustrações e reclamações. Com o uso do Action Learning garantimos que o foco estaria na busca de soluções e que, para isso, seria necessário chegar a raiz do problema. Os próprios participantes perceberam que de nada adiantaria reclamar, o que foi evidenciado pela seguinte fala de um deles: “Neste encontro, percebi que precisamos buscar soluções e não lamentações.”

 

*Maria Carolina Mateus é Coach, Consultora Especialista em Desenho de Soluções Educacionais e Facilitadora de Aprendizagem, com 15 anos de experiência em Educação Corporativa, Desenvolvimento Humano e Formação de Facilitadores. Atua em processos de desenvolvimento da liderança, team building, coaching executivo e Action Learning.

Please reload

Search By Tags