top of page

ACTION LEARNING para MUDAR O MUNDO JÁ - Por Andréa Nery


O ano de 2020 ficará marcado na história da humanidade e esta é uma certeza que todos temos ainda que estejamos vivendo intensamente este momento e não seja possível ter clareza de como a história será contada.


Experimentamos variadas formas de interação que já estavam ao nosso alcance, mas que não imaginávamos que seriam usadas para substituir nossa presença e contato físico.


E foi neste contexto que realizei minha certificação em Action Learning, em uma turma com formato “híbrido” pela força das circunstâncias, iniciada de forma presencial e finalizada de forma online, em meio a insegurança diante das ações que começavam a ser tomadas para lidar com o desconhecido.


Foi muito marcante como as sessões de Action Learning que realizamos durante a certificação traziam questões individuais de situações que emergiam coletivamente, pois naquele momento, quem de nós não se preocupava em como conseguir cuidar de um ente querido, ou como equilibrar trabalho e vida pessoal num mesmo ambiente, ou ainda, como lidar com o isolamento social... questões vivas, urgentes e importantes que provocavam a pergunta mais sincera e profunda de cada um de nós.


A intensidade e velocidade deste passado tão recente foi tanta que colhemos frutos muito concretos, eu levei o Action Learning para o mundo online e o usei como base para ajudar muitos times a desenvolver segurança psicológica e solucionar questões valorizando a diversidade e desenvolvimento de habilidades de liderança essenciais para estes tempos.


Uma experiência em particular fechou o ano de 2020 com resultados muito positivos e concretos e nela me inspiro hoje para compartilhar com vocês a força que o Action Learning tem para promover transformações e unir as pessoas permitindo criar soluções de forma inovadora e coletiva.


O convite foi para participar de um festival internacional com duração de 21 dias, neste período os participantes deveriam vivenciar uma experiência que os colocasse em ação na direção de mudar o mundo a partir do que já é possível aqui e agora.


O Festival Internacional - Muda Mundo Já foi uma iniciativa no Brasil de um grupo que vem trabalhando com a Teoria U e diversas práticas que promovem maior conexão do indivíduo com os sistemas a que ele pertence, gerando mais consciência para busca de resultados do coletivo para o coletivo.


Para marcar minha participação na versão 0.8 do festival – formato protótipo para colher resultados e evoluir – propus uma experiência que tinha o Action Learning como base para busca de soluções, ações e aprendizado e testei um formato que ao longo dos 21 dias estimulava os participantes a refletir sobre o poder das perguntas.


Lembrando das vivências que vinha experimentando com a prática de Action Learning em grupos, ele surgiu como uma proposta natural para o festival, pois permite trabalhar a busca de ações concretas para problemas reais, urgentes e importantes que podem colocar as pessoas em movimento para mudar o mundo. Além disso, o Action Learning complementa práticas utilizadas para capturar e perceber as informações disponíveis no campo, como o Teatro da Presença Social – usado na Teoria U – e as constelações individuais e organizacionais.


Os inscritos na experiência “Perguntas Mudam o Mundo” passaram por três trilhas diferentes que se complementavam e que tinham como objetivo desenvolver um olhar para o potencial das perguntas e seu papel nos processos colaborativos e de aprendizagem. (Ver quadro: Visão do contexto da experiência)


Visão do contexto da experiência

1ª trilha – toda manhã, ao longo do festival, os participantes recebiam um áudio com uma pergunta que os estimulava a uma reflexão para aquele dia. Alinhado a jornada da teoria U as perguntas permitiam um mergulho na questão pessoal e contexto, e promoviam um alinhamento e abertura da mente, coração e desejo. Vejam alguns exemplos:

“O que você faria se fosse 100 vezes mais ousado? Que decisão pode surpreende-lo?”

“O que você precisa deixar ir para que algo novo chegue? O que lhe impede de deixar ir?”

“Qual a pior e a melhor coisa que pode acontecer se você fizer o que mais deseja?”

Deixo aqui uma visão das perguntas refletidas sobre o processo da Teoria U.