O ENCONTRO ENTRE CARL ROGERS E REG REVANS

A Abordagem Centrada na Pessoa e Action Learning



Carl Rogers foi um psicólogo norte americano, viveu entre 1902 e 1987, ano de seu nascimento e falecimento, respectivamente. A abordagem Centrada na Pessoa , ACP, foi desenvolvida por ele, também considerado um pioneiro na pesquisa científica em psicoterapia.

Reginald "Reg" William Revans, foi um professor, administrador e consultor britânico que viveu entre 1907 e 2003, pioneiro na utilização de Action Learning. É considerado o “pai de Action Learning”. Viveu entre 1907 and 2003.

Embora contemporâneos, talvez nunca tenham se encontrado, ou pelo menos não achei evidências sobre este encontro. Entretanto, suas abordagens são absolutamente complementares e coerentes.

Action Learning é um processo para solução de problemas que, ao mesmo tempo, desenvolve habilidades de liderança. É realizada com um pequeno grupo, de 4 a 8 pessoas, conduzida por um coach treinado e certificado, que tem o papel de estimular o melhor desempenho deste grupo. Declarações são feitas somente em resposta a perguntas – esta é uma regra. A pergunta mantém os participantes no foco, desperta um olhar criativo para soluções e estimula conexão entre as pessoas. Ao final de cada sessão, que dura em média 90 minutos, pelo menos uma ação é endereçada para resolver o problema e há uma reflexão sobre a aprendizagem individual, do grupo e organizacional.

Costumo dizer que Action Learning é muito mais que um processo. Trata-se de um “Jeito de Ser”, que incorpora valores como: apreciação, crença no desenvolvimento das pessoas e na capacidade de um grupo para encontrar suas próprias soluções.

Estas características têm muito em comum com as atitudes da ACP- Abordagem Centrada na Pessoa, que criam condições para facilitação do processo de crescimento e mudança. A crença principal é na tendência atualizante, que consiste na premissa de que todo ser vivo se atualiza, inexoravelmente, sempre buscando o melhor para si. As atitudes do facilitador são: congruência – autoconhecimento, comportamento genuíno e autêntico; consideração positiva incondicional – traduzida pelo não julgamento e apreciação do cliente; empatia – compreensão da experiência do cliente a partir de sua própria perspectiva, oferta de sua atenção e presença.

Quando um coach de Action Learning é formado e certificado, algumas habilidades são desenvolvidas e requeridas, tais como: proficiência no processo, segurança, fazer perguntas, escuta, confiança no processo e no grupo, coragem, autoconhecimento, comprometimento com aprendizagem, criatividade, pensamento sistêmico, e organização. Certamente estas habilidades se inter-relacionam. Entretanto, essas grifadas correlacionam-se às atitudes da ACP descritas acima.

Sabemos que a abordagem WIAL Action Learning foi influenciada por várias correntes teóricas, acadêmicas e filosóficas, dentre elas a Psicologia Humanista, da qual Rogers foi um pioneiro e grande contribuidor.

Em minha atuação como M/SALC, na qual preparei mais de 170 novos action learning coaches e fiz mentoria de outros tantos, sempre reforço que a principal qualidade de um action learning coach é a humilde postura de aprendiz, tendo empatia e consideração positiva incondicional consigo próprio, acreditando que em sua atuação não existem erros, apenas aprendizados. É um estímulo a lançar um olhar objetivo sobre seu comportamento, analisando o que foi bem e o que poderia ser melhor. E melhorar na próxima vez. E estudar e aprofundar sempre.

Fica um convite especial aos action learning coaches para conhecerem e aprofundarem seus conhecimentos sobre a ACP. E ainda um convite a todas as pessoas pesquisarem sobre ambas as abordagens.





THE MEETING BETWEEN CARL ROGERS AND REG REVANS

The Person-Centered Approach and Action Learning


Carl Rogers was an American psychologist. He lived between 1902 and 1987, the year of his birth and death, respectively.

Reg Revans, considered the “father of Action Learning”, was a British teacher, administrator and consultant. He lived between 1907 and 2003.

Although they lived at the same time being contemporary, they may never have met, or at least I have found no evidence of this meeting. However, their approaches are absolutely complementary and consistent with each other.

Action Learning is a team based solving problem process that, at the same time, develops leadership skills. It involves a small group, from 4 to 8 people, it is led by a trained and certified coach, who has the role of stimulating the best performance of this group. Statements are made only in response to questions - this is a ground rule. The question keeps participants in focus, stimulates a different look at creative solutions and encourages connection between people. At the end of each session, which lasts an average of 90 minutes, at least one action is addressed to solve the problem and there is a reflection on individual, group and organizational learning.

I often say that Action Learning is much more than a process. There is an “Action Learning Way ", which incorporates values ​​such as: appreciation, belief in development of people and also the strong belief that the group is able to find their own solutions. These characteristics have a lot in common with Person Centered Approach attitudes that create conditions to facilitate the process of growth and change. The main belief is in the Self-actualization, the unconditional affirmation of a person's inherent tendency to move towards individual self-fulfillment, the premise that every living being is always seeking the best for him/her/itself. The facilitator's attitudes are: congruence - self-aware, genuine and authentic behavior;

unconditional positive regard- translated by the non-judgment and appreciation; empathy - understanding the people/client's experience from their own perspective, offering her/him attention and presence.

When an Action Learning coach is trained and certified, some skills are developed and required, such as: competence (proficiency in the process), self-confidence, asking questions, listening, trust in the process and in the group, courage, self-knowledge, commitment to learning, creativity, thinking systemic, and organization. These skills are certainly interrelated. However, but those one highlighted correlate to the Person- Centered Approach attitudes described above.

We know that the WIAL Action Learning approach was influenced by several theoretical, academic and philosophical currents, among them the Humanist Psychology, of which Rogers was a pioneer and a major contributor.

In my role as M/SALC, in which I prepared more than 170 new Action Learning coaches and mentored many others, I always reinforce that the main quality of an action learning coach is the humble apprentice attitude, having empathy and unconditional positive regard for him/herself, considering that there are no mistakes in their performance, only learning. It’s important to take a non-emotional look at their behavior by analyzing what went well and what could be better. And improve next time. And also keeping studying and deepening knowledge.

I offer a special invitation for action learning coaches to know and deepen their knowledge about Person-Centered Approach. It is also an invitation to everyone to know about both approaches.


BIBLIOGRAFIA


https://www.nrogers.com/Biographies.html


https://www.simplypsychology.org/client-centred-therapy.html












Search By Tags